Desemprego caiu nos EUA, mesmo com menor criação de vagas; entenda os motivos

Estrategista destacou que o mede a taxa de desemprego é baseada na procura
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

Nesta sexta-feira (3), foram divulgados os dados do Payroll de novembro, apresentando uma queda na criação de empregos nos Estados Unidos. A expectativa era de 550 mil novos postos de trabalho, mas a economia do país criou 210 mil empregos no penúltimo mês de 2021.

Em entrevista ao BM&C News, Willian Castro Alves, estrategista-chefe da Avenue, avaliou a contradição de uma menor criação de vagas e a redução do desemprego. O estrategista ressaltou que a taxa de desemprego é avaliada com base na procura. “O que mede a taxa de desemprego é essencialmente quem está procurando emprego e se coloca como desempregado”.

Por fim, destacou alguns aspectos que motivaram as pessoas a deixar de procurar emprego, bem como, ter uma poupança, novos investimentos, receios da pandemia, sobretudo, com a chegada da nova variante. “Acaba gerando essa influência e participação na força de trabalho e na própria taxa de desemprego”.

Confira a análise na íntegra:

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Mais lidas