Ibovespa registra alta com precatórios e PIB no radar

PIB do terceiro trimestre registrou queda de 0,1% em relação ao tri anterior de 2021
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp

O Ibovespa se recupera bem nesta quinta-feira (2) e opera em alta, após as quedas nos últimos pregões com as incertezas da variante ômicron da Covid-19. Indicadores econômicos movimentam o mercado hoje, com o Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre, além da PEC dos Precatórios, que está em votação no plenário do Senado nesta tarde.

No terceiro trimestre, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil teve retração de 0,1% na comparação com os três meses imediatamente anteriores, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta. Em relação ao terceiro trimestre de 2020, o PIB apresentou expansão de 4,0%, contra expectativa alta de 4,2% nessa base de comparação.

Nos Estados Unidos, as bolsas operam em alta nesta quinta, impulsionados por ações do setor financeiro e da Boeing, enquanto o crescente número de casos de Covid-19 pela nova variante Ômicron globalmente continuava a ditar volatilidade nos mercados.

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, opera em alta de 3,02%, cotado a 103.818,98 pontos às 13h30.

O dólar comercial registra queda de 0,79%, cotado a R$ 5,626.

Nos Estados Unidos, as bolsas estão subindo. O S&P 500 está operando em +1,30% (4.572,62), o Nasdaq registra +0,52% (15.334,20), enquanto o Dow Jones está em +1,72% (34.606,79).

Confira destaques desta quinta:

Opep+ decide seguir com planejado aumento de produção em janeiro

A Opep e seus aliados concordaram nesta quinta-feira em manter sua política atual de aumento mensal da produção de petróleo, apesar dos temores de que uma liberação das reservas dos EUA e a nova variante do coronavírus poderiam levariam a uma nova derrocada do preço do petróleo.

O Brent caía mais de 1 dólar diante da decisão, sendo negociado abaixo de 70 dólares o barril, patamar bem inferior às máximas de três anos registradas em outubro, acima de 86 dólares.

Os preços em novembro já haviam registrado sua maior queda mensal desde o início da pandemia.

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA têm alta menor que o esperado

O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego aumentou menos do que o esperado na semana passada, apontando para aperto nas condições do mercado de trabalho, enquanto as demissões caíram para uma mínima em 28 anos e meio em novembro.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego subiram em 28 mil, para 222 mil em dado ajustado sazonalmente, na semana encerrada em 27 de novembro, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira. Os registros, que caíram para 194 mil na semana anterior, tendem a ser voláteis em torno do Dia de Ação de Graças e o início da temporada de festas de fim de ano.

Economistas consultados pela Reuters previam 240 mil pedidos para a última semana. As solicitações caíram ante um recorde de 6,149 milhões registrado no início de abril de 2020.

Se inscreva no nosso canal e acompanhe a programação ao vivo.

Mais lidas